CONSPIRAÇÕES


O Clube Bilderberg – Objetivos




«O Clube Bilderberg está em busca de uma era do pós­-nacionalismo: um momento em que já não haverá países, só regi­ões e valores universais, quer dizer, só uma economia universal, um Governo Universal – designado, não eleito – e uma religião universal. Para assegurar-se esses objetivos, os membros do Clube Bilderberg defendem um enfoque mais técnico e menos conheci­mento por parte do público. Isto reduz as possibilidades de que toda a população se inteire do plano global dos donos mundiais e organize uma resistência organizada»(de Willian Shannon, em «Plans to Destroy America Are Exposed!», 2002).

O objetivo final

O objetivo final do Grupo Bilderberg é o con­trole de absolutamente tudo no mundo, em todos os sentidos da palavra. Agem como se fossem deuses na Terra. Entre seus planos pretendem estabelecer:
(1) Um único governo planetário com um único mercado globalizado, com um único exército e uma única moeda regulada por um Banco Mundial.
(2) Uma Igreja universal que canalizará as pessoas para os desejos da Nova Ordem Mundial. As outras religiões serão todas destruídas.
(3) Serviços internacionais completarão a des­truição de qualquer identidade nacional por meio da subversão a partir de dentro. Só será permitido que floresçam os valores uni­versais.
(4) O controle de toda a humanidade através de meios de manipulação mental. Esse plano está descrito no livro «Technotronic Era» [«Era Tecnotrônica»], de Zbigniew Brzezinski, membro do Clube. Na Nova Ordem Mundial não haverá classe média, só ser­vidores e governantes.
(5) Uma sociedade pós-industrial de “crescimento zero” [l ver artigos na categoria “Sustentabilidade”, neste blog], que acabará com a industrialização e a produção de energia elétrica nuclear (exceção para as indústrias dos computadores e servi­ços). As indústrias canadenses e americanas que permanecerem serão exportadas para países pobres como Bolívia, Peru, Equador, Nicarágua etc, em que existe mão-de-obra barata [leia-se: mão-de-obra escrava]. Tornar-se-á realidade, então, um dos principais objetivos do NAFTA (Acordo de Livre Comércio da América do Norte). O crescimento zero é necessário para destruir os vestígios de prosperidade e dividir a sociedade em proprietários e escravos. Quando há prosperidade, há progresso, o que torna muito mais difícil a repressão.
(6) A redução populacional das grandes cidades, segundo a experiência realizada no Cambodja por Pol Pot. Os planos genocidas de Pot foram projetados nos Estados Unidos por uma das instituições irmãs do Bilderberg, o Clube de Roma.
(7) A eliminação de quatro bilhões de pessoas – aquelas que Henry Kissinger e David Rockefeller chamam, caçoando, de «estômagos inservíveis» – por meio das guerras, da fome e de enfermidades. Isto sucederá até o ano 2050. «Dos dois bilhões de habitantes rema­nescentes, 500 milhões serão chineses e japoneses, que se salvarão graças à sua capacidade característica de obedecer à autoridade» – é o que afirma John Coleman em seu livro «Conspirator’s Hierarchy: The Story of the Committee of 300» [→ ver artigos neste blog]. John Coleman é um fun­cionário da inteligência aposentado que descobriu um relatório do Comitê dos 300 recomendando a Cyrus Vance «como realizar o genocídio». Segundo a pesquisa de Coleman, o relatório foi intitu­lado «Global 2000 Report», «aprovado pelo presidente Carter, em nome do Governo americano e referendado por Edwin Muskie, secretário de Estado». Segundo esse relatório, «a população dos Estados Unidos estará reduzida a 100 milhões até o ano 2050».
(8) Crises artificiais para manter as pessoas num perpétuo estado de desequilíbrio físico, mental e emocional. Confundirão e desmoralizarão a população para evitar que as pessoas decidam o seu pró­prio destino, até o extremo em que elas «terão demasiadas pos­sibilidades de escolha, o que dará lugar a uma grande apatia em escala geral» (John Coleman).
(9) Um controle férreo sobre a educação com o propósito de destruí-la. Uma das razões da existência da União Européia (e da futura União Americana e Asiática) é o controle da educação para “cordeirizar” as pessoas. Ainda que nos pareça incrível, esses esforços já estão dando “bons frutos”. A juventude de hoje ignora por completo a história, as liberdades individuais e o significado do próprio conceito de liberdade. Para os adeptos da globalização é muito mais fácil lutar contra oponentes sem princípios.
(10) O controle da política internacional e interna dos Estados Unidos (já realizado através do governo de Bush), Canadá (con­trolado pela Inglaterra) e Europa (através da União Européia).
(11) Uma ONU mais poderosa, e que se converta, finalmente, num Governo Mundial. Uma das medidas que conduzirão a isto é a criação do imposto direto sobre o “cidadão mundial”.
(12) A extensão do NAFTA para todo o hemisfério ocidental, como prelúdio da criação de uma União Americana similar à União Européia.
(13) Uma corte internacional de justiça com um sistema jurí­dico único. E…
(14) Um estado de bem-estar socialista onde serão recompen­sados os escravos obedientes e exterminados os não-conformistas.


Observação do Editor deste blog

Em seguida, no livro de Daniel Estulin, «A Verdadeira História do Club Bilderberg», o autor apresenta alguns exemplos da atuação do Grupo Bilderberg em episódios políticos ocorridos no mundo, para mostrar a extensão e o poder do Grupo. Reitero a sugestão, junto ao prezado Visitante Desconhecido no sentido de adquirir o livro a fim de conhecer todos os detalhes das operações realizadas pelo Grupo Bilderberg, por ser isso fundamental para que se possa, de fato, entender como esta organização atua, visto que, por motivos óbvios, não há como reproduzir neste blog, na íntegra, as palavras de Daniel Estulin.
No livro, o autor apresenta e mostra, detalhadamente, a atuação do pessoal do Bilderberg nos seguintes episódios:
♦ A Guerra das Malvinas;
♦ A humilhação de Ronald Reagan por parte do Clube;
♦ O assassinato de Aldo Moro (Itália);
♦ O assassinato de Ali Bhutto (Paquistão);
♦ A deposição do xá do Irã e o aiatolá Khomeini;
♦ O episódio Watergate e a Nova Ordem Mundial;
♦ A criação de Bill Clinton.

Outros exemplos da atuação do Clube Bilderberg

♦ O Bilderberg propôs e decidiu estabelecer relações formais com a China, antes que Nixon o fizesse.
♦ Num encontro em Saltsjöbaden, Suécia, em 1973, o Clube consentiu num aumento de 12 dólares no preço do barril de petróleo, um aumento de 350% sobre o preço anterior. A intenção era criar um caos econômico nos Estados Unidos e na Europa oci­dental para tornar esses países mais receptivos.
♦ Em 1983, o Clube conseguiu o compromisso secreto por parte do ultraconservador presidente Reagan de transferir 50 bilhões de dólares, dinheiro dos contribuintes americanos, aos países comunistas e do Terceiro Mundo através dos seus canais preferenciais, o FMI e o BIRD. Esse compromisso foi realizado e conhecido como Plano Brady.
♦ O Bilderberg decidiu também depor Margareth Thatcher como primeira-ministra britânica porque ela havia se oposto a submeter a soberania da Inglaterra ao superestado europeu pla­nejado pelo Clube. E, com incredulidade, assistimos a como seu próprio partido a aniquilou em favor de um de seus cachorrinhos de madame, John Major.
♦ Em 1985 foi ordenado aos membros do Clube Bilderberg que apoiassem completamente a Iniciativa Estratégica de Defesa (Guerra das Galáxias), antes inclusive da mesma vir a ser a política oficial do governo americano – pelo fato de que proporcionaria aos “donos do mundo” um potencial de lucros sem limites.
♦ Em seu encontro de 1990 em Glen Cove, Nova York, foi decidido que deveriam ser aumentados os impostos para pagar a dívida aos banqueiros internacionais. O Bilderberg ordenou a George Bush que incrementasse os impostos a partir daquele ano, e assistiu a como o presidente assinava a previsão orçamentária, com a subida dos impostos, a qual o faria perder as eleições.
♦ Na reunião de 1992, o Grupo debateu a possibilidade de «condicionar o público para que fosse aceita a idéia de um exército da ONU, que poderia, utilizando a força, impor sua vontade nas questões internas de qualquer Estado».
♦ A venda multimilionária da companhia de eletricidade Ontario Hydro (cujo proprietário era o governo do Canadá), foi discutida pela primeira vez na reunião do Bilderberg em King City, Toronto, em 1996. Pouco tempo depois, Ontario Hydro foi dividida em cinco empresas independentes e privatizada.
♦ Durante e depois da conferência Bilderberg de 1996, deci­diu-se reeleger Bill Clinton como presidente dos Estados Unidos porque ele seria uma marionete mais útil que Bob Dole. Este último havia sido também investigado por financiamento ilícito da campanha eleitoral.
♦ Em relação a Kosovo, os membros do Clube Bilderberg decidiram a formação de um Estado albanês independente e o desmembramento da Iugoslávia (com a entrega de sua província mais setentrional à Hungria) para criar um novo mapa que assegurasse a continuidade do conflito. A reconstrução estimada em bilhões de dólares correria a cargo dos impostos ocidentais.
♦ Indiscrições sobre o encontro de 2004 revelam que a Guerra do Iraque foi adiada até março de 2003. Todos os jornais do mundo esperavam o ataque no verão de 2002.
♦ A OTAN deu carta branca à Rússia para bombardear a Tchetchênia em 1999, como informado em 1998.
♦ Em 1999, Kenneth Clarke, membro do Parlamento; Martin S. Feldstein, presidente do Conselho Nacional de Investigação Econômica; Stanley Fisher, subdiretor do Fundo Monetário Internacional (FMI); Ottmar Issing, membro do comitê execu­tivo do Banco Central Europeu; e Jean-Claude Trichet, diretor do Banco da França – debateram sobre a “dolarização”, como passo posterior à moeda única européia.
♦ Foi planejada a formação de um bloco asiático sob a lide­rança do Japão. Seriam estabelecidos uma moeda única, o livre comércio e uma união política semelhante à União Européia.
♦ Foi planejada a formação de uma União Americana seme­lhante à União Européia.
♦ Planificou-se a divisão do Canadá para 1997, mas a ines­perada investigação do periódicoToronto Star, o jornal mais importante do Canadá, durante o encontro de 1996 em King City, obrigou os adeptos da globalização a adiar o plano para 2007.
♦ O Clube sancionou economicamente a Áustria por reali­zar eleições democráticas nas quais resultou vencedor o Partido Nacionalista de Jorg Haider.

O Clube Bilderberg pode ser desmascarado?

Thomas Jefferson, um dos fundadores da democracia americana, tinha a seguinte definição:«Certos atos de tirania podem ser atribuídos à circunstância acidental de um dia; mas toda uma série de opressões que se iniciaram num período definido e que se mantiveram inalteradas com todos os ministros [presidentes] existentes demonstram demasiado claramente que existe um plano sistemático e deliberado para reduzir-nos à escra­vidão».
Essa estratégia corporativa em sua forma global é expressa nas pala­vras que pronunciou David Rockefeller no encontro do Bilderberg em junho de 1991 em Baden-Baden, Alemanha: «A soberania supranacional de uma elite intelectual e financeira é absoluta­mente preferível à autodeterminação nacional praticada durante os séculos passados».
«Tal estrutura funciona mediante os mesmos mecanismos financeiros e comunicativos que colocaram Tony Blair e George Bush no poder, dando-Ihes a maioria de votos. As corporações transnacionais realizaram uma publicidade muito poderosa e financiaram esses líderes políticos, para assegurar-se da servidão dos Estados. Os governos já não podem governar para o interesse comum sem infringir as novas leis de comércio e investimentos de capitais que só beneficiam às corpo rações transnacionais» – é isso que se lê em «Why is There a War in Afghanistan?», de John McMurtry, no fórum sobre como o Canadá deveria responder ao terrorismo e à guerra, 09/12/2001.

Por que não reagimos?

O que me surpreende mais é: por que os demais [países e líderes nacionais] não vêem esse perigo? Deverá ser pelo fato de que o conhecimento implicaria uma responsabilidade e clamaria por uma resposta decisiva? Se formos conscientes de que, de fato, existe um poder muito mais pode­roso que a Presidência eleita democraticamente, uma autoridade “moral” mais poderosa do que o papa, mais onipotente que Deus, um poder invisível que controla o aparato militar mundial e os sis­temas de inteligência, que controla o sistema de propaganda mais eficiente da história… – devemos concluir, forçosamente, que a demo­cracia é, no melhor dos casos, uma ilusão e, no pior, o prelúdio de uma ditadura que se conhecerá como Nova Ordem Mundial e que nos conduzirá a uma escravidão total.
Michael Thomas, um banqueiro de investimentos de Wall Street que obteve fama mundial como escritor e como o analista mais incisivo do período Reagan-Bush, disse numa ocasião:«Se os bilderbergers parecem agora mais discretos que nunca, é, entre outras razões, porque suas propostas, levadas a cabo pelas agências que estão a seu serviço, como o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, causaram mais devastação nos últimos anos do que todos os desastres da Segunda Guerra Mundial juntos».
«O resultado funesto… — escreve o ex-jornalista da BBC Tony Gosling — …é uma visão da democracia ocidental subvertida, em que as pessoas que tomam decisões se põem de acordo não para coi­sas que são importantes para as pessoas comuns – justiça social, interesse comum e qualidade de vida – mas sim para reforçar a austeridade econômica e conseguir ainda maiores ganhos para a elite empresarial e política.»
Com toda a evidência nas mãos, a maioria ainda crê que já se «tem problemas pessoais demais para incomodarmo-nos com teorias conspirativas». Isto é exatamente o que Tavistock perseguia.
Encurralados pelo caos, reagimos como fez Nixon quando ficou isolado, confuso e depois destruído pelos planejadores da globalização. Desmoralizadas e confusas, com pouca auto-estima, com um futuro incerto, as pessoas estão muito mais inclinadas a aceitar o surgimento repentino de um “messias”, uma Nova Ordem que prometa a eliminação das drogas, da pornografia, da prostituição infantil, do crime, das guerras, da fome e do sofrimento, e que garanta uma sociedade bem ordenada em que as pessoas vivam em harmonia.

Um duro impasse

O problema é que essa nova “harmonia” devorará nossas liberdades, os direitos humanos, nosso pensamento independente e sua própria existência. “Harmonia” significará uma sociedade de bem-estar que nos converterá em números dentro do enorme sis­tema burocrático da Nova Ordem Mundial. Os não-conformistas, como eu mesmo, seremos varridos com um simples toque numa tecla de computador, internados num dos mais de 600 campos de concentração que já estão em pleno funcionamento na atua­lidade nos Estados Unidos, a não ser que as pessoas do mundo livre (ou o que resta dele) – a “resistência leal” – se levantem para defender os ideais nacionais, em vez de deixá-los nas mãos dos governos, dos representantes da Comissão Européia, das Nações Unidas e da realeza, que já nos traíram.
Esses elegantes e sempre finos membros das famílias reais européias, suas damas educadas e seus galhardos cavaleiros, que trocaram seus trajes reais por terno e gravata, são, na verdade, completamente impiedosos. Utilizarão o sofrimento das nações e suas riquezas para proteger suas privilegiadas formas de vida.
Essas fortunas da aristocracia estão «relacionadas e entrelaçadas de forma inextricável com o tráfego de drogas, ouro, diamantes e armas, com os bancos, o comércio e a indústria, com o petróleo, com os meios de comunicação e a indústria de entretenimento».

Como podemos verificar esses fatos?

É virtualmente impos­sível penetrar no Clube Bilderberg. Algumas das provas não estão ao nosso alcance porque a informação sai diretamente dos arqui­vos da inteligência e só uma minoria privilegiada pode vê-los. Não espere nunca que os meios de comunicação mencionem a conspiração nos telejornais da noite. A imprensa está completa­mente sob o controle das senhoras virtuosas e dos cavalheiros que dedicam a maior parte de seu tempo a empresas filantrópicas. A maioria das pessoas crê – como não se pode encontrar uma motivação atrás das coisas que descrevi, como nada disto aparece nos noticiários – que deve tratar-se de mais uma das muitas teorias de conspiração a serem desprezadas, frequentemente ridicularizadas e por fim rejeitadas.
As pessoas querem provas definitivas e isso é o mais difícil de conseguir. Isto é o que o Instituto Tavistock fez com a raça humana. A Nova Ordem Mundial neutralizou a única ameaça real que as “massas sujas” – quer dizer, nós – poderíamos opor a seus planos. Este livro pode ser uma exceção. Seu objetivo é tirar a máscara da Nova Ordem Mundial para mostrá-la como ela é realmente. Neste livro há muitos documentos e fontes que podem verificar, pelo menos, uma parte dos fatos e que deixarão o leitor inteligente perguntando-se se, por trás, não haverá mais coisas além do que se vê à primeira vista.
As informações que se seguem são fruto de muitos anos de investi­gações, de milhares de documentos e fontes consultados. Algumas pessoas incrivelmente corajosas arriscaram sua vida (e outros morreram tentando) para ter acesso a uma parte deste material em que se detalha o terrível futuro que nos espera.
Daniel Estulin


Créditos: Este post é a última parte da matéria dedicada ao Clube Bilderberg, e consta do livro de Daniel Estulin «A verdadeira História do Clube Bilderberg», o qual, para quem crê nas teorias conspiratórias (as quais, infelizmente, existem mesmo), é literatura obrigatória. Introduzi subtítulos no texto para facilitar a leitura, assim como eliminei algumas partes do texto original não fundamentais para este blog, mas que deverão ser observadas pelo prezado Visitante Desconhecido quando da leitura integral do livro.
Os principais livros a ler são: «A Verdadeira História do Clube Bilderberg», de Daniel Estulin (Editora Planeta do Brasil Ltda.); «A Corporação – A História Secreta do Século XX e o Início do Governo Mundial do Futuro», de Nicholas Hagger (Editora Pensamento-Cultrix Ltda.); «As Redes Secretas do Poder», de Pablo Allegritti (Editora Planeta do Brasil Ltda.); e «O Governo Secreto», de Jim Marrs (Madras Editora Ltda.).
Outros livros que tratam do mesmo assunto podem ser encontrados na página de “LIVROS”, deste blog.






 QUEM É QUE MANDA NO MUNDO?

 

“Cada país estrangeiro de importância relevante do primeiro e terceiro mundos tem uma espécie de derivação ou filial do Conselho de Relações Exteriores norte-americano. Os membros de cada país interagem com os demais países das derivações do CFR através da instituição mundial ‘Bilderburgers’, para mais facilmente alcançar seus fins. Os membros estrangeiros da Comissão Trilateral pertencem às suas respectivas organizações. Uma investigação superficial efetuada pelo mais inexperiente investigador conseguirá inclusive constatar que os membros do Conselho de Relações Exteriores e da Comissão Trilateral controlam as maiores organizações, fundações, além de todos os interesses das principais publicações, dos meios de informação, da informática, e inclusive controlam os maiores bancos e as maiores corporações e multinacionais. Todos os altos escalões dos governos e muitos outros interesses vitais estão nas mãos deles! Os membros do CFR e do 1t são apontados e são eleitos para todos os cargos, porque eles são donos de todo o dinheiro! E, como não pode deixar de ser, têm um interesse todo especial em cuidar do capital. De todo esse poder e vantagens, as pessoas comuns estão excluídas, principalmente os países mais pobres. De qualquer modo e a nosso entender, os membros do CFRe do TC são totalmente antidemocráticos [e exercem um despotismo nunca jamais visto e sequer suspeitado], e de maneira nenhuma representam a maioria do povo dos Estados Unidos da América [e muito menos dos demais países envolvidos].

Esses são os pretensos ‘eleitos’ que, com a vinda do pandemônio final dos tempos, pretendem decidir quem haverá de sobreviver ou não...” [Suspeito que estas denúncias não promanam de M.W. Cooper, mas sim de altas patentes militares norte-americanas não comprometidas, e que estão inconformes com a tirania que essas entidade para-governamentais exercem nos EUA...


As Bases Materiais do Governo Clandestino 

“Os ‘Bilderburgers’, o Conselho de Relações Exteriores e a Comissão Trilateral, e outras instituições britânicas poderosíssimas, constituem exatamente o governo oculto, ou o governo clandestino, ou o governo secreto que manda nos EUA e no resto do mundo. E o pretenso grupo de estudiosos Wise Men, conhecidos como a Sociedade Jason ou Jason Scholars, incluindo s altos escalões comprometidos e assentados nos postos-chaves do Governo, mandam nos Estados Unidos da América [e no resto do mundo também. Valem-se também de um Majority 12 [disfarçado dc Majestic-12], e que praticamente é sempre constituído só por membros dessas congregações...” 


 O Conselho de Relações Exteriores e a Comissão Trilateral, por sua vez, não só e praticamente controlariam a tecnologia daqueles seus aliados alienígenas nefastos, como inclusive controlam totalmente a economia das nações. Eisenhower foi o último presidente americano que teria chegado a quase conhecer a totalidade do panorama ufológico ou dilema dos alienígenas nefastos [aliados de uns poucos que constituem a anti-raça humana] e alienígenas neutros ou até mesmo benevolentes. Aos presidentes sucessivos apenas se lhes dizia aquilo que a Comunidade de Informações [ou espionagem, ou seja a , NSA, MJ-12, , etc da vida] queria que eles conhecessem e acreditassem. E nunca se lhes contava a verdade nua e crua!” [Sinceramente, eu até duvido que Eisenhower tenha tido esse tal conhecimento panorâmico da Ufologia.

 
Os 12 cidadãos acima são uma espécie de tribunal superior, instância última na guarda dos segredos do governo invisível dos EUA. É o Conselho de Inteligência dos EUA (USIB), que à época desta foto, no governo do presidente Richard Nixon, era presidido por William Colby, então Diretor Central de Inteligência (e da CIA) – o terceiro, a partir da esquerda. Para críticos do excesso de sigilo – como o National Security Archive (NSArchive), grupo privado que funciona na Universidade George Washington – o governo Obama tem de buscar transparência na prometida revisão dos exageros, que a dupla Bush-Cheney levou ao extremo.

 Os Governantes Invisíveis 




Os homens que se encontram no primeiro plano da vida política têm realmente o poder entre suas mãos? Para Serge Hutin, autor de Governantes Invisíveis e Sociedades Secretas, o destino das nações depende, freqüentemente de grupos de homens que não estão investidos de cargos oficiais. Trata-se de sociedades secretas, verdadeiros governos ocultos que decidem o nosso destino sem o nosso conhecimento. 


Pesquisa de Iliana Marina Pistone 


Ao observarmos um formigueiro, as formigas parecem perambular a esmo, numa atividade febril e inútil, quando, de fato, todas as ações individuais têm como fim o mesmo alvo comum, cujas constantes são determinadas da forma mais categórica pela "alma coletiva" do formigueiro. Observando-se toda a seqüência da história, repleta de acontecimentos humanos, de contínuas reviravoltas que se manifestaram durante séculos, somos levados a perguntar se tudo isso tem algum sentido de coerência e se esse conjunto aparentemente caótico constituído pela humanidade pode ser comparado a um imenso formigueiro. 


Essa é a questão principal levantada por Serge Hutin, na tentativa de explicar os grandes enigmas da história através da existência de governantes invisíveis e sociedades secretas, que regeriam o mundo. Examinando-se a história humana de um ponto de vista geral, notamos, de um lado, o equilíbrio, a ordem harmoniosa, a organização sintética. De outro lado, o caos completo, a desorganização, a desagregação. Hutin questiona se essa continuidade de eventos pertence ao acaso ou se até mesmo as forças caóticas não estariam obedecendo a diretrizes detalhadas, sob a orientação de governantes invisíveis. 


Robert Payne, um autor inglês, publicou, em 1951, o livro intitulado Zero, The Story of Terrorism, no qual relata a existência de dirigentes ocultos que, à sombra de governos visíveis, manejavam essa terrível arma do terrorismo, sobrepujando até os poderosos grupos econômicos, cujo papel secundário limitava-se ao financiamento. Fatos estranhos passaram a acontecer após a publicação do livro, desde a compra de todos os estoques disponíveis por misteriosos emissários, até a quase falência da Wingate , uma das sólidas editoras no mercado londrino e, finalmente, a morte inexplicável do autor, alguns meses depois. 


UMA PIRÂMIDE DE TRÊS DEGRAUS 


Quanto a isso, Jacques Bergier, pesquisador dos enigmas da humanidade, revelou a existência de uma lista de assuntos proibidos para a imprensa, minuciosamente relatados em um caderno preto. Segundo ele, a proibição é de alcance mundial e universal, não levando em consideração o regime político dos vários países, e todo diretor de jornal importante tem uma cópia desse caderno, seja ele de tendências comunistas ou capitalistas. 


Entende-se por sociedade secreta um grupo mais ou menos numeroso de pessoas, que se caracteriza por manter reuniões estritamente limitas a seus adeptos, e também por manter o mais absoluto sigilo a respeito das cerimônias e dos rituais onde se manifestam os símbolos que esta sociedade se atribui. As finalidades das sociedades secretas são as mais variadas: políticas, religiosas, espirituais, filosóficas e até criminosas. 


Em 1945, em Paris, Raoul Husson (1901-67), fisiólogo e psicólogo, publicou um livro, sob o pseudônimo de Geoffroy de Charnay, nome de um dos grandes templários franceses, condenado à morte pelo fogo, em 1314, junto com o grande mestre Jacques de Molay. Nesse livro, Husson revelou que as sociedades secretas mundiais formavam uma pirâmide de três degraus. No primeiro degrau, de fácil acesso, encontram-se os homens considerados úteis. No segundo degrau, o acesso é mais selecionado e seus adeptos desempenham papéis importantes, influenciando no plano nacional e internacional. No cimo da pirâmide estariam as sociedades secretas superiores, que agem por trás dos bastidores. Todos os assuntos importantes da política internacional estariam nas mãos dessas sociedades. 


CEMITÉRIOS REPLETOS DE GENTE INSUBSTITUÍVEL 


Gurdjieff, o conhecido "mago" caucasiano, teria sido, no século 20, um destes personagens que chegaram ao ponto mais alto do domínio invisível dos assuntos humanos. De fato, Gurdjieff declarou: "Tive a possibilidade de me aproximar do sancta sanctorum de quase todas as organizações herméticas, ou seja, sociedades religiosas, ocultas, filosóficas, políticas ou místicas, e que são vedadas aos homens comuns". 


Muito já foi dito da ação, freqüentemente ignorada, mas poderosa, das sociedades secretas que "dominam o mundo". Como exemplo, há a franco-maçonaria e seu desempenho marcante ao longo da Revolução Francesa. Outro grupo de ação notável foi o dos iluminados da Bavária, no século 18, cujo "poder oculto" teria levado Napoleão Bonaparte ao poder. Havia, entre os iluminados, Goethe, Herder, o alquimista rosacruciano Eckartshau-sem e muitas outras personalidades que não desconfiavam em absoluto dos verdadeiros objetivos políticos da seita. 


Bonaparte teria alcançado o mais alto grau na Ordem dos Iluminados, além de Ter sido maçom e alto dignitário de outras ordens fraternais ; entre elas a Fraternidade Hermética, que ele conheceu na época da campanha egípcia. 


Gérard Serbanesco, terceiro volume de sua obra Historie de la Franc-Maçonnerie Universelle, reproduz o relato de Napoleão sobre a cerimônia de sua iniciação. 


Lamentavelmente, a partir do momento em que Napoleão se deixou dominar pela sua ambição pessoal, não sendo mais o executador de planos secretos, a boa sorte o abandonou e o seu destino mudou. 


Outra personalidade que recebeu iniciação numa seita de filiação templária foi Cristóvão Colombo, que, contrariamente à teoria tradicional, não teria iniciado sua viagem às cegas. Em Les Mystéres Templiers, Louis Charpentier conta como Colombo recebeu, dos navegadores a serviço do Templo, o conhecimento de uma rota que levava ao novo mundo e a missão da descoberta. Charpentier reuniu, a esse propósito, provas realmente interessantes. 


Questões podem ser igualmente levantadas quanto à fulminante carreira de Joana D'Arc. Numa época em que todas as mulheres eram categoricamente excluídas de qualquer atividade política, todas as portas, até as mais fechadas, abriram-se para ela. Apesar de ser mais fácil explicar a sua atuação através da santidade, pode-se também supor que a sua missão tenha sido apoiada, se não preparada, pela intervenção de uma poderoso sociedade secreta. A que estaria relacionado o grande segredo que ela só quis confiar ao futuro Carlos VII? 


Por outro lado, toda vez que algo ou alguém parece obstacular o determinismo cíclico da evolução do mundo, a ação dos governos invisíveis, que agem implacavelmente, faz-se presente. Desse forma, vários atentados políticos, atribuídos a fanáticos isolados, foram reconhecidos como execuções friamente decididas. Nesses casos, o assassino existe, mas ele é somente o agente que executa uma tarefa decidida por um poderoso grupo oculto. 


O assassinato do presidente Kennedy permanece ainda hoje envolto em mistério, e a impressão que se tem é de que "alguém" não quer vê-lo esclarecido. Quanto a isso, Hutin menciona quatro pontos inquietantes: 


1) "Por acaso", somente o prédio de onde saíram os tiros fatais não estava sendo vigiado pela polícia de Dallas. 


2) Vários assassinos estavam em posições estratégicas, e suas atuações eram sincronizadas pelos gestos que um misterioso "diretor de orquestra" estava fazendo com seu guarda-chuva, sobre uma elevação (fotos que revelam isto foram publicadas por várias revistas, entre as quais a Paris Match); na eventualidade de Lee Oswald errar o alvo, um dos outros atiradores teriam entrado em ação 


3) Já preso, o sicário foi convenientemente liquidado por um "justiceiro", que, por sua vez, morreu convenientemente de "câncer generalizado". 


4) Por uma série de estranhas coincidências, um número impressionante de testemunhas do crime desapareceu e, em todos os casos, foi por acidente. 


Não seria interessante levarmos em conta a intervenção de estranhos "invisíveis"que seguram o fio da história? 


Bastante elucidativa é a sentença que diz: "Os cemitérios estão repletos de gente in-substituível". 


Os jovens políticos que conhecem as manobras complicadas que se passam por trás dos bastidores são muito raros, e, quando certas figuras começam a atrapalhar os planos secretos que estão sendo executados, quer tenham ou não consciência disso, são tomadas as medidas necessárias, que podem ser sumárias ou secretas, para eliminá-las. Via de regra, os atentados políticos da história se caracterizam pela presença de um assassino fanático, instrumento de um grupo poderoso e insuspeito que permanece fora de cena. Em seguida, esses fanáticos são eliminados depois do atentado (por policiais ou pelo próprio povo) ou, quando presos com vida, se há dúvidas quanto à garantia de seu silêncio, são eliminados de forma definitiva. Foi isso o que teria acontecido a Lee Oswald, o assassino de Kennedy. 


Em 15 de setembro de 1912, Revue Internationale des Sociétés Secrètes relata uma sentença dita por uma personalidade importante, uma espécie de eminência parda da política européia, que se teria manifestado da seguinte forma, a respeito do arquiduque Francisco Fernando, da Áustria: "É um bom moço. É uma lástima que esteja condenado. Vai morrer nos degraus do trono". Esse tipo de declaração nos faz refletir: o destino do arquiduque Francisco Fernando, cujo assassinato em Serajevo daria ensejo à deflagração da Primeira Guerra Mundial, já estava decidido dois anos antes do fato. Quem teria tomado a decisão? Voltamos novamente aos governantes invisíveis. 


Dessa forma, tudo leva a crer que a guerra de 1914 já estava sendo esperada, preparada e "programada", dois ou três anos antes do seu início. Muitos acontecimentos mostram o contínuo esforço, através de slogans e de imagens, para exacerbar o entusiasmo bélico das massas na investida contra o inimigo. 


A SINARQUIA DO IMPÉRIO 


Para se reconhecer, entre os personagens conhecidos ou desconhecidos da grande história, quais deles teriam recebido suas tarefas diretamente dos governantes invisíveis, é preciso distinguir duas categorias de personalidades: uma constituída por homens que tiveram papel de destaque no plano histórico e que estavam a par dos grandes segredos, tais como Richelieu, Benjamin Disraeli, o primeiro-ministro da rainha Vitória, e Lenin. 


A segunda categoria compreenderia os personagens que não aparecem em nenhum livro de história: tiveram um papel ativo, apesar de secreto, influenciando a situação histórica e política. 


Timothée-Ignatz Trebitsch, um aventureiro judeu, foi uma eminência parda, utilizado para facilitar o advento do nazismo na Alemanha. Outra personalidade que parece ter tido um papel importante no campo da política secreta é o "mago" inglês Aleister Crowley (1875-1947). Num passado mais remoto, vamos encontrar as enigmáticas figuras do conde de Saint-Germain e de Cagliostro. 


O nome "sinarquia", pela sua etimologia grega, pressupõe a realização de uma ordem sagrada num equilíbrio perfeito, de uma harmonia complexa, que seria o reflexo das leis cósmicas. Está associado a uma das mais misteriosas sociedades secretas modernas de governantes invisíveis, tendo sido introduzido pelo grande esoterista Alexandre Sain-Yves, que viveu entre 1842 e 1909. Recebeu do papa o título de marquês de Alveydre e tornou-se conhecido como Saint-Yves d' Alveydre. Viu-se escolhido pelos governantes invisíveis do mundo para executar seus planos, tendo deixado um número de obras muito estranhas: Mission des Souverrains, Mission des Juifs, Mission de l'Inde, L'Archéomètre. Saint-Yves apregoava o ideal de uma sinarquia universal, a Sinarquia do Império, e não restam dúvidas de que manteve contato direto com os mais altos governantes secretos. 


A Sinarquia do Império tinha uma estrutura hierárquica, essencial para o sistema, e que era resumida no seu símbolo: um triângulo em quatro níveis , mostrando, em seu interior, um olho, e cujo vértice coincidia com a extremidade de uma estrela de cinco pontas. Em todas as sociedades secretas realmente poderosas encontramos sempre esta estrutura hierárquica, cujos diferentes níveis de atividades são estritamente separados, de forma que cada grupo atue no seu nível e para que os chefes supremos possam agir sem nunca serem percebidos. 



O GRANDE MONARCA, ANUNCIADO POR NOSTRADAMUS 

É muito interessante notar como o antagonismo entre o bem e o mal se faz presente em todos os campos. No fim do ciclo terrestre, a ação das forças demoníacas seria terrível, prega a tradição. A profecia revelada a Salete, na França, em 1846, com relação ao fim do mundo, é apavorante. Ainda segundo uma tradição francesa, espera-se a aparição, para depois dos acontecimentos apocalípticos, de um legítimo soberano, o grande monarca, anunciado por Nostradamus e aguardado com tanta ansiedade. São várias as versões quanto à identificação desse grande monarca. 

O que se conclui é que os aspectos negativos no mundo, o lado demoníaco da continuidade histórica, enfim, o que se chama de mal, pode ser encarado como um aspecto decididamente lamentável, mas cosmicamente inevitável no desenvolvimento do ciclo terrestre. O próprio mal é uma necessidade metafísica a ser integrada no plano divino. 

De acordo com uma tradição oral, as Sinarquias do Império usariam, também, como senha, o antigo símbolo chinês que indica a complementação indissolúvel e a ligação inexplicável entre os dois pólos cósmicos universais, positivo e negativo, ou masculino e feminino. Esse tradicional e significativo símbolo é formado por um círculo branco e preto. A parte branca e a preta estão separadas por uma linha em espiral; na parte preta encontra-se um ponto branco e na parte branca há um ponto preto. Isto quer dizer que, no apogeu da fase evolutiva do ciclo terrestre (o triunfo do branco), o preto nunca desaparece completa-mente, e sua presença está assinalada por aquele ponto e, inversamente, na fase involutiva do ciclo (triunfo do preto), o ponto branco sempre permanece. Nenhuma manifestação poderia ter acontecido nem acontecer sem essa complementação cósmicas dos dois contra-pontos. É comum encontrar-se em todas as tradições alusão à existência de governantes invisíveis secretos, personalidade misteriosas que controlam o desenvolvimento da história humana e modo minucioso. E o que se sabe dizer é que essas figuras misteriosas aparecem quando sua presença é muito necessária. 

Na tradição dos rasacruzes existe uma hierarquia de mestres desconhecidos, um conselho constituído por doze homens, que supervisionam a evolução da humanidade. Acima deles existiria outra hierarquia de entidades que já superaram o nível mortal humano, conhecida como o invisível permanente. 

Assim como existe a iniciação autêntica, que transporta a um estado supra-humano, há em contrapartida a "pseudo-iniciação", cuja finalidade é a divulgação da subversão e do caos, trabalhando para o "fim do mundo". Ao que parece, essas forças contrárias estão incluídas no plano divino. 

Todo homem possui no seu íntimo a possibilidade de adquirir poderes para elevar-se a um nível superior, mas poucos são os que o conseguem. Ouspensky, discípulo de Gurdji-eff, cita em Fragments d'un Enseignement Inconnu a seguinte observação feita por seu mestre: "Se dois ou três homens despertos se encontram no meio de uma multidão de adormecidos, eles se reconhecem imediatamente, enquanto os adormecidos não poderão vê-los... Se duzentos homens conscientes achassem necessária uma intervenção , poderiam mudar todas as condições de existência na Terra". 

O domínio dos dirigentes ocultos dos grupos por eles supervisionados se faz também do uso sistemático da força psíquica dos símbolos. É fácil constatar, especialmente nas ideologias que exploram as massas, o uso e a eficácia dos símbolos, verdadeiras "armas" que ativam e despertam a energia que se encontra profundamente arraigada na psique humana, na parte que constitui o inconsciente coletivo da humanidade. Assim, vamos encontrar a cruz gamada ou suástica, um dos símbolos mais antigos e mais significativos da humanidade, encontrado no mundo inteiro, ao longo da história. Num primeiro tempo a suástica representou, simbolicamente, a rotação das sete estrelas da Ursa Maior em volta da estrela Polar. Em seguida, o seu significado ampliou-se e passou a ser o símbolo do movimento cósmico. Dependendo da direção em que se dobram os braços da cruz, a suástica chama-se direita, representando a fase evolutiva, ou, ao contrário, invertida, representando a fase regressiva de um ciclo terrestre no seu conjunto. Os chefes nazistas teriam escolhido a suástica invertida como símbolo da sua ideologia de maneira proposital, com o intuito de se valer das forças involutivas, caóticas e desintegrantes. No seu delírio, a ideologia nazista usou uma influência invertida do Antigo Testamento, no que diz respeito ao povo eleito, à raça eleita. É bem possível, portanto, que Hitler tentasse "ajudar" o ciclo terrestre, pensando que quanto mais apresentasse as catástrofes, mais rapidamente chegaria a Idade de Ouro, e todo o mal desapareceria! 

O texto sânscrito Vishnu Purana descreve que a época de Kali, ou seja, da detruição, poderá ser identificada quando "a sociedade atingir um nível em que a propriedade outorgue categoria, a riqueza for a única fonte de virtude, a paixão constituir o único laço de união ente marido e mulher, a falsidade for a matriz do sucesso na vida, o sexo o único meio de prazer, e quando os ornamentos exteriores se confundirem com a religião interior". 

Guénon, um espírito muito lúcido e sensível à percepção dos sinais apocalípticos do nosso tempo, é autor do livro A Era da Quantidade e o Sinal dos Tempos, escrito no período entre as duas guerras, onde preconiza a robotização das massas: "Os homens ficarão uns autômatos, animados artificial e momentaneamente por uma vontade infernal, e isto dará uma idéia nítida do que acontece à própria beira da dissolução final". 

Hoje, o que podemos perceber é que as influências mágicas mudaram na sua forma, no seu ritual e na sua aparência, mas as técnicas de condicionamento mágico continuam existindo. Basta observarmos com que facilidade se lança uma moda. O que pode ser feito com a moda pode ser aplicado em muitos outros campos, porque o comprimento de uma saia e um slogan político, além do controle da informação, podem ser divulgados da mesma maneira, observou Robert Mercier. 

Goebbels, o único ministro da propaganda nazista, sabia perfeitamente que as massas podem ser manobradas, porque prevalece a lei pela qual o comportamento de uma coletividade desorganizada é sempre caracterizado pelo nível intelectual mais baixo. 

Governantes Invisíveis e Sociedades Secretas, de Serge Hutin, publicado no Brasil pela editora Hemus, examina em profundidade uma tese defendida por muitos estudiosos ligados à corrente do realismo fantástico (entre os quais o falecido Jacques Bergier). Essa tese afirma que, desde os primórdios da história, o mundo é governado na realidade por homens ou grupos de homens só muito raramente conhecidos: os membros de sociedades supersecretas. Sua existência nunca é pressentida, até o momento em que um fato imprevisível os leva a manifestarem-se abertamente. 

Esses homens, por sua vez, obedeceriam a determinações de poderosas inteligências ainda mais ocultas e de compreensão praticamente impossível para o comum dos homens. Como escreveu o autor americano Philip José Farmer, em seu livro O Universo às Avessas: "Poderes sobre-humanos dirigem, do vértice da pirâmide dos governantes visíveis e invisíveis, toda a evolução de todos os sistemas planetários e das galáxias, incluindo todos os homens e os seres que os habitam. Se isso for verdade, a limitada inteligência humana seria incapaz de configurar o conjunto dos ciclos dos planetas e das galáxias, da mesma forma que uma célula de nosso organismo não tem a capacidade de entender a estrutura do conjunto ao qual pertence". 



Conspiração Americana Quase Invisível. 


 

A imagem olho-que-tudo-vê, um símbolo illuminati, que talvez você mesmo deve ter vistos em filmes como tomb raider, ou o tesouro perdido os illuminati têm introduzido este símbolo , que até agora desconheço o objetivo (suspeito em uma mensagem subliminar).Porém muitos dizem que o símbolo é bem atual e sua criação é graças ao filme tomb raider, (lembra do post da casa branca? É muito mais antigo que tomb raider, não?) podemos ver o tal símbolo na nota de 1 dólar. É só ver.
Peguei uma nota que eu tenho de 1 dólar e peguei o significado do que tem escrito, veja o resultado:
O olho que tudo vê Os maçons dizem que é deus representado na figura, na verdade seria gadu? O grande arquiteto do universo? A frase abaixo novus ordo seclorum (nova ordem dos séculos) se refere de uma era de paz? Esse post é feito mais com perguntas do que respostas, porém encontrei outra interpretação para a imagem


1-A pirâmide representa a elite, O olho que o vê tudo domina a parte inferior , feita de tijolos idênticos (a população) que se repararem o olho fica na parte de cima que é representado pela elite, então a parte inferior seria a população?( afinal os EUA não se acham tão perfeitinhos enquanto nós somos o terceiro mundo)
E é no seu ápice que se encontra o olho do verdadeiro deus da Maçonaria: Lúcifer. E como já vimos, mostra a Associação entre Maçons e Illuminati
A pirâmide tem duas partes como você vê a parte de cima que tem o olho representa a elite, o olho, representa como se tivesse tomando conta da população. A parte inferior é a população, e a superior a elite?( afinal os EUA não se acham tão perfeitinhos enquanto nós somos o terceiro mundo) Outro significado é A pirâmide é o sólido derivado do triângulo e simboliza o homem em busca da divindade e das energias cósmicas que seriam captadas pelo ápice e irradiadas até a base. Que representaria firmeza por sua estrutura. Também é o símbolo da hierarquia espiritual da Nova Era( a abaixo dela não está escrito nova ordem do século?suspeito não?), na maçonaria seria o olho de Gadu e para os iluminati o olho de lúcifer. Como a pirâmide está inacabada ela dá um ar de “ainda continua”, ou a atenção ao futuro. ( tem nos EUA, um símbolo maçon parecido que vocês irão ver em outro post o Monumento de Washington que está inacabado também, isso é um símbolo maçônico). Ela constitui-se de 72 blocos de pedra. Alguns dizem que seriam os 72 degraus da escada de Jacob, estando assim relacionados com o judaísmo e a tradição cabalística.
Outra interpretação a ela é Os maçons dizem que é deus representado na figura, na verdade seria gadu? O grande arquiteto do universo? A frase abaixo novus ordo seclorum (nova ordem dos séculos) se refere de uma era de paz? (Esse post é feito mais com perguntas do que respostas não?)
2-E "ANNUIT CŒPTIS" significa: annuo (aprovar) cœpta (começar) "nosso projeto será coroado de sucesso, ou então fica entendido como:” Ele aprova (ou tenha aprovado) [nosso] empreendimento (s)". A pergunta é ele quem? Se souberem podem postar no comentário. Seria o criador do universo?O gadu. Grande arquiteto do universo da maçonaria?e como vimos antes e em post anteriores, Roosevelt( o que aprovou as frases e composiçoes da nota)foi presidente dos EUA, um dos 13 presidentes que eram Maçons.

3 - Está escrito também novus ordo seclorum que significa Nova Ordem dos Séculos.Ela também teve a aprovação de frankilin roosevelt.A frase em sí é bem suspeita, não?Dizem que a esspressão vem da quarta ecóloga e de virgílio.O tal do poema Virgílio era interpretado pelos cristãos como uma profecia de cristo. E na idade augustan, que era uma época dourada para preparar o mundo para a chegada de cristo. Os grandes poetas eram vistos como uma fonte de revelação e de luz sobre os mistérios cristãos que se aproximavam

4-A balança com um esquadro: simboliza o senso de justiça e retidão, alusão ao código maçom de se identificar pela frase “Justo e Perfeito”.
5-A chave: significa os segredos da Maçonaria.
6-Águia: Antigamente era uma fênix na nota, porém em 1841 mudaram para a águia que é um símbolo da Maçonaria que representa perspicácia, inteligência, conquista e vitória, e também, é um símbolo solar egípcio.
7-Ramo de oliveira: representa a paz
8-Feixe de flechas: simboliza a guerra
Estes dois símbolos nos fazem lembrar-se da besta que se parece com um cordeiro (paz = ramo), mas fala como dragão (guerra = feixe de flechas), uma referência profética aos EUA em Apocalipse 13:11.

9-Nas asas: 32 33 penas. A interpretação seria sobre os graus máximos na organização, responsáveis pelas decisões importantes, no rito escocês.
E ela tem 9 plumas, que se relacionam aos graus do rito maçônico de York
10- Os blocos da pirâmide contêm 72 blocos de pedra. Pessoas dizem que isso significa os 72 degraus da escada de Jacob, tendo relação com o judaísmo
11- No bico da águia há escrito a frase "et pluribus unum" traduzido do latim fica, "De muitos, um" ela também com origem do poema de Virgílio. Porém ela é meio suspeita não? Como se fosse unir os paises em um só, ou como se os EUA fossem os escolhidos.




Sociedades Secretas


 
1. Os Bilderbergers
Esse poderoso grupo se reúne secretamente todo ano para discutir planos para cada cidadão da Terra, sobre como estimular e implementar a meta do governo global. Como uma ordem clandestina, cada membro faz votos de não revelar a natureza dos assuntos tratados nos encontros, ou de dar atribuição ao que foi dito. Além disso, os membros dessa organização detêm posições importantes, de alto escalão e influentes em todo o mundo. "Alguns dos que participaram e participam dessas reuniões secretas são Bill Clinton, Walter Mondale, os Rockefellers, Gerald Ford, Tony Blair, Henry Kissinger, Peter Jennings, Colin L. Powell, William McDonough e cerca de 115 pessoas poderosas."


 
 
2. Os Illuminatis

Esse é o grupo dos donos mundiais do dinheiro que desejam o governo global e estão usando o caos para tornar as pessoas submissas e complacentes por meio da criminalidade, dos problemas monetários, das crianças rebeldes e da tomada da educação e da economia, bem como da religião. David Icke afirma que "os Illuminati, a facção que controla a direção do mundo, são híbridos genéticos, o resultado de cruzamentos fechados... e essa é a razão pela qual as famílias reais e aristocráticas européias realizam casamentos entre si de forma tão obsessiva, assim como as chamadas famílias do Establishment da Costa Leste dos Estados Unidos, que produzem os líderes do país. Cada eleição presidencial desde e incluindo George Washington, em 1789, foi vencida pelo candidato com mais genes europeus."
Os Illuminati, afirma o autor da Nova Era, David Icke, são obcecados por simbolismos e rituais. Suas diretrizes primárias (que serão cobertas em artigos futuros) são assustadoras.

 
3. A Maçonaria 
Essa organização fraternal estava originalmente situada na Inglaterra mas depois foi também criada nos EUA. Albert Pike, Grande Comandante da Maçonaria e satanista, afirmou em seu livro Morals and Dogma que a "Maçonaria é uma busca por Luz. [Luz = é Lúcifer.] Essa busca nos leva diretamente de volta... à Cabala." [Pike, Albert, Morals and Dogma; pg 741].
Além de Pike, outros maçons notórios que também eram satanistas incluem Helena Blavatsky, Alice Bailey, Annie Besant, Manly P. Hall e muitos outros que estão bem vivos e que adoram a Satanás, consciente ou inconscientemente. A discrição é tão encorajada que os próprios membros nos graus mais baixos da Maçonaria não sabem o que realmente se passa nos graus elevados. Embora os maçons afirmem que a organização seja cristã, na verdade ela é o oposto disso.

 
4. Bohemian Grove
O Bohemian Club (fundado em 1872) e o Bohemian Grove alistam os maiores líderes masculinos para atividades sexuais escandalosas e depravadas. "Todos os presidentes democratas desde Herbert Hoover pertenceram... Eis uma pequena amostra de alguns dos membros proeminentes: Stephen Bechtel Jr... Joseph Coors... Entre outros." [Secret Societies and Their Members, pg 4 de 4.].

De seus quase 3.000 membros, outros participantes incluem (ou incluíram) os Bush, Richard Nixon, George Schultz, Henry Kissinger, Colin Powell, Merv Griffin, Newt Gingrich, Ronald Reagan, Caspar Weinberger, Dick Cheney, Danny Glover, e outros. "… alguns dos homens mais poderosos da Terra cometendo atos sexuais desprezíveis... homens nus e seminus adorando um ídolo gigante de uma coruja em um ritual profundamente ocultista, e o que parecia ser o sacrifício humano real de um homem branco queimando aos berros..."
"E eles escolhem quem poderá concorrer aos altos postos de presidente e vice-presidente dos EUA." ["Expose of the Bohemian Grove", pg 1; 5/6/02].



 
A Ordem dos Illuminati é muitas vezes o centro de debates sobre o impacto das sociedades secretas na história humana. É a Illuminati um mito ou ela realmente governa o mundo em secreto? Como o número de pessoas fazendo essa pergunta tem crescido, fatos sobre a Ordem tornarem-se diluídos em equívocos e desinformações, fazendo uma pesquisa objetiva sobre o assunto difícil. Este artigo tenta lançar alguma luz baseada em fatos sobre a Ordem dos Illuminati, revendo alguns dos documentos mais importantes sobre o assunto.

O termo "Illuminati" é usado bastante livremente para descrever um grupo de elite que está secretamente controlando o mundo. A maioria tem uma idéia geral do significado do termo, mas estão confusos sobre os conceitos e as idéias relacionadas a ele. É a Illuminati a mesma coisa que a Maçonaria? Quais são seus objetivos? Quais são suas crenças? Por que eles agem em segredo? Será que eles praticam ocultismo? Tentar pesquisar o assunto objetivamente pode se tornar uma tarefa árdua, pois a maioria das fontes acabam sendo todas pedaços de desinformação e desprezo que negam (e até mesmo ridicularizam) qualquer assunto relacionado aos Illuminati, ou, no outro extremo do espectro, difundem mal informadamente o medo em rumores e mal-entendidos. Em ambos os casos, o pesquisador acaba com o mesmo resultado: uma versão distorcida da verdade.

Considerando que as sociedades secretas devem ser, por definição, secretas, e que a história é muitas vezes reescrita por aqueles no poder, obter a verdade imparcial sobre a Illuminati é um desafio. Este artigo não pretende "revelar" ou "expor" tudo o que está a ser conhecido sobre a Illuminati, mas sim tentativas de desenhar um quadro mais preciso da Ordem, citando autores que têm estudado extensivamente o assunto. Se eles são, no final, críticos ou defensores dos Illuminati, esses autores baseiam seus pensamentos em fatos credíveis. Alguns dos documentos mais interessantes sobre a Illuminati foram escritos por iniciados de sociedades secretas, como eles entenderam a corrente filosófica e espiritual dirigindo o movimento para a frente. Usando essas obras, vamos olhar para as origens, os métodos e os impactos da Illuminati na história do mundo.

Tipos de Sociedades Secretas

Embora vários grupos se chamassem "Illuminati" no passado, o mais influente e memorável deles foi os Illuminati da Baviera. Fundada em 01 maio de 1776, a organização criada por Adam Weishaupt, sendo uma turva a linha entre o "espiritual" e o "político" das Sociedades Secretas. Ao misturar as ciências ocultas da Maçonaria e Rosacrucianismo, e enquanto conspirava para atingir objetivos políticos precisos, os Illuminati se tornaram um ator no cenário mundial. Enquanto a maioria das sociedades secretas daquele tempo serviam pessoas ricas e seu fascínio com o ocultismo, os Illuminati da Baviera procuraram ativamente mudar profundamente o mundo.

Sociedades Secretas têm existido durante todo o curso da história, cada uma delas com objetivos diferentes e com diferentes papéis na sociedade. Enquanto as escolas de mistério egípcias faziam parte da instituição egípcia, outros grupos eram secretos, devido à seus objetivos subversivos e conspiratórios. Essas duas citações seguinte, escritas por duas personalidades políticas famosas, descreve essas visões opostas sobre Sociedades Secretas:
"Será que Zanoni pertence a essa Fraternidade mística, que, em uma idade mais precoce, considerava os herdeiros de tudo que o que os caldeus, os Magos, o Gimnosofistas, e os platônicos tinha ensinado, e que diferiam de todos os Filhos mais escuro da magia na virtude de suas vidas, na pureza de suas doutrinas, e sua insistência, como a fundação de toda a sabedoria, sobre a subjugação dos sentidos, e a intensidade da fé religiosa? " - Sir Edward Bulwer Lytton, 18841
"Os governos dos dias de hoje têm que lidar não apenas com outros governos, com imperadores, reis e ministros, mas também com as sociedades secretas que têm toda a parte de seus agentes sem escrúpulos, e pode, no último momento parar todos os planos dos governos". - Primeiro-ministro britânico Benjamin Disraeli, 1876

Estas citações descrevem diferentes domínios de influência das Sociedades Secretas. O primeiro refere-se ao lado espiritual, enquanto o segundo descreve o lado político. Nem todas as sociedades secretas habitam no espiritual e nem todas elas se envolvem em maquinações políticas. Os Illuminati da Baviera oreavam em ambos os reinos.
"Irmandades espirituais são destinadas à Sabedoria, guiando a humanidade em direção ao reino do Infinito; irmandades Políticas [são compostas] de buscadores de poder que escondem sua agenda manipuladora na escuridão. (...) 
Todas as sociedades secretas compartilham certos temas fundamentais. A associação é restrita àqueles que têm um interesse permanente no assunto. Assim, um grupo espiritual irá atrair pessoas que buscam mais conhecimento de um professor particular ou tipo de prática. O aluno está ciente do assunto com antecedência e se aproximará do grupo para outras instruções. Mais raramente, um indivíduo pode ser "aproveitado" pelo grupo por causa de uma afinidade percebida a sua finalidade a esse propósito. 
Em uma sociedade política secreta, a adesão é restrita para aqueles que compartilham uma afinidade ideológica com os objetivos que o grupo representa. No final mais distante do espectro político, a missão será a revolução. Tal sociedade irá a grandes distâncias para se defender. (...) 
Os Illuminati são percebidos por muitos como abrangendo o abismo entre o espiritual e a sociedade política secreta. Muitas vezes responsabilizado (ou culpado) por influenciar a Revolução Francesa em 1787, os Illuminati ensinou uma doutrina de libertação social e política que dependia da igualdade do homem, o abraço do racionalismo, e a negação da coroa e da igreja como as instituições legítimas para o regulamentação de valores sociais e morais. (...) Enquanto os pontos de vista dos Illuminati possam soar bastante avançado para a época, as revoluções europeias que se acredita que eles incentivaram degenerou em banhos de sangue brutais, cuja singular falta de compasso moral foi terrível. "2
Enquanto alguns acreditam que Adam Weishaupt foi o mentor único dos Illuminati e que sua organização passou para a glória e morreu em menos de 12 anos, a maioria dos pesquisadores iniciados em ocultismo acreditam que os Illuminati da Baviera foi a rara aparição de uma antiga irmandade que poderia ser rastreada de volta ao Templários da Idade Média.

Manly P. Hall, maçom de Grau 33 e autor prolífico, descrito em seu panfleto "Orders Maçônica da Fraternidade" um "império invisível" que tem sido silenciosamente trabalhado durante séculos para a mudança social. Periodicamente se tornou visível ao longo da História, através de diferentes organizações que tinham nomes diferentes. Segundo ele, esses grupos têm um grande impacto sobre a sociedade ainda em silêncio, até mesmo o de transformar o sistema educacional para formar as futuras gerações.
"A descendência direta do programa essencial das escolas esotéricas foi confiada a grupos já bem condicionados para o trabalho. As guildas, sindicatos, e outras sociedades protetoras e benevolentes tinham sido fortalecidos internamente pela introdução de uma nova aprendizagem. O avanço do plano exigia o alargamento das fronteiras do filosófico exagerar. A Fraternidade Mundial era necessário, sustentada por um programa amplo e profundo da educação de acordo com o "método". Tal Fraternidade não poderia incluir imediatamente todos os homens, mas poderia unir as atividades de certos tipos de homens, independentemente de suas crenças raciais ou religiosas ou as nações em que habitava. Esses foram os homens de "direção", os filhos de amanhã, cujo símbolo era um sol escaldante erguendo-se sobre as montanhas do leste. (...) 
Era inevitável que as Ordens da Fraternidade devam patrocinar a educação mundial. (...) O programa incluia uma expansão sistemática das instituições existentes e o alargamento da sua esfera de influência. 
Lentamente, as Ordens de Reforma Universal desapareceram da atenção pública, e em seus lugares surgiram as Ordens da Fraternidade Mundial. Todo o possível foi feito para evitar as transições de ser óbvio. Até mesmo a história foi falsificada para fazer certas sequências de atividade irreconhecíveis. A mudança de ênfase nunca deu a impressão de aspereza, e o movimento apareceu como uma aurora da consciência social. As pistas mais óbvias para a atividade secreta ter sido o silêncio prevalecente sobre a origem e a impossibilidade de apresentação das lacunas nos registros das Ordens fraternais do século XVII e do século XVIII (...) 

Ordens da Fraternidade foram anexados por fios finos e quase invisíveis para o projeto pai. Como Escolas de Mistérios anteriores , essas Fraternidades não eram em si mesmos encarnações reais das associações esotéricas, mas sim instrumentos para o avanço de certos objetivos do plano divino."
3

Aqui, Hall menciona um "silêncio" e falta de informação sobre o funcionamento das Sociedades Secretas durante o século 17 e 18, época durante a qual os Illuminati da Baviera estavam ativos. É durante este período de tempo que as sociedades secretas tomaram medidas, causando revoluções, derrubando poderes Monárquicos e Papais e tomaram conta do sistema bancário. Foram a os Illuminati da Baviera parte do Império Invisível descrito por Hall? Está hoje ainda ativo? Vamos primeiro olhar em Adam Weishaupt e sua Sociedade Secreta infame.

Adam Weishaupt, Treinado Pelos Jesuítas

Adam Weishaupt nasceu em Ingolstadt, Baviera em 06 de fevereiro de 1748. Seu pai morreu quando ele tinha sete anos e seu padrinho, o Barão Ickstatt, confiou a sua educação cedo para o grupo mais poderoso da época: os jesuítas. Conhecidos por seus métodos subversivos e tendências conspiratórias, a Companhia de Jesus tinha uma fortaleza na política da Baviera e no sistema educacional.
"O grau de poder para que os representantes da Companhia de Jesus tinha sido capaz de atingir na Baviera era tudo menos absoluto. Membros da ordem eram os confessores e preceptores dos eleitores, daí eles tiveram uma influência direta sobre as políticas de governo. A censura da religião tinha caído em suas mãos ansiosas, na medida em que algumas das freguesias ainda foram obrigadas a reconhecer a sua autoridade e poder. Para exterminar toda a influência protestante e para tornar o estabelecimento completamente Católico, eles tinham tomado posse dos instrumentos de ensino público. Foi pelos jesuítas que a maioria das faculdades da Baviera foram fundadas, e por quem elas eram controladas. Foi por eles também que as escolas secundárias do país foram instituídas. "4

O funcionamento interno da Companhia de Jesus foi bastante semelhante à Irmandade oculta que estava aparentemente trabalhando contra. Funcionou com graus, ritos de iniciação, elaborados rituais e símbolos esotéricos e havia sido suprimido inúmeras vezes em vários países devido à sua tendência subversiva.

Em 1773, o padrinho de Weishaupt usou sua grande influência na Universidade de Ingolstadt para colocar seu afilhado como o cadeira de Direito Canônico. Naquela época, a instituição estava sob dominação jesuítica pesada e aquela posição particular era tradicionalmente realizada pelos jesuítas influentes. O crescente abraço de Weishaupt em filosofias da Era da Iluminação colocou em conflito com os jesuítas e todos os tipos de dramas políticos se seguiram. Apesar disso, Weishaupt aprendeu muito com a organização dos jesuítas e seus métodos de subversão para a obtenção de energia. É nessa época que a idéia de uma Sociedade Secreta começou a entrar nos pensamentos de Weishaupt.
"Brilhante, e bem treinado nos métodos conspiratórios de acesso ao poder, o jovem Weishaupt decidiu organizar um corpo de conspiradores, determinado a libertar o mundo da regra jesuítica de Roma." 5

Enquanto alguns autores acreditam que os jesuítas (que foram reprimidos por bula papal em 1773), usaram Weishaupt para perpetuar o seu domínio, outros afirmam que ele estava tentando derrubar seu domínio poderoso sobre Baviera. Numa escala mais ampla, ele estava convencido de que o mundo iria lucrar com a derrubada de todas as instituições governamentais e religiosas no mundo para substituí-los por um comitê mundial, ainda secreto , de "iniciados". Para alcançar seus objetivos, ele usaria métodos jesuítas contra os jesuítas.

Enquanto Weishaupt prosseguiu com seus estudos, ele também tornou-se conhecedor dos mistérios ocultos e hermetismo. Ele reconheceu o poder de atração deste conhecimento misterioso e entendeu que as lojas maçônicas seriam o local ideal para propagar suas opiniões. Ele procurou, portanto, se tornar um maçom, mas ficou rapidamente desencantado com a idéia.
"Sua imaginação tendo tomado o calor de suas reflexões sobre o poder de atração dos mistérios de Elêusis e da influência exercida pelo culto secreto dos Pitagóricos, foi primeiro no pensamento de Weishaupt a procurar nas instituições maçônicas da época a oportunidade que cobiçava para a propagação de suas idéias. Dessa intenção original, porém, ele logo se desviou, em parte por causa da dificuldade que tinha para comandar fundos suficientes para ganhar a admissão a uma loja de maçons, em parte porque seu estudo de tais livros maçônicos como chegou às suas mãos o persuadiu que os "mistérios" da Maçonaria foram muito pueris e muito facilmente acessível ao público em geral para torná-los de valor". 6

Weishaupt logo percebeu que, para atingir seus objetivos, seria necessário para ele criar seu próprio grupo secreto, composto por indivíduos poderosos que abraçaria suas opiniões e o ajudaria a propagá-los.
"Ele considerou necessário, portanto, lançar-se em linhas independentes. Ele formou uma organização secreta modelo, composta por "escolas de sabedoria", escondida do olhar do mundo atrás de paredes de reclusão e mistério, onde as verdades que a insensatez e o egoísmo dos sacerdotes baniram das cadeiras públicas de educação pudessem ser ensinadas com perfeita liberdade para os jovens suscetíveis. "7

O objetivo da organização de Weishaupt era simples mas monumental: derrubar todas as instituições políticas e religiosas, a fim de substituí-la por um grupo de iniciados Illuminati. Segundo ele "a felicidade universal completa e rápida poderia ser alcançada pela eliminação da classificação, hierarquia e riquezas. Príncipes e nações desapareceriam, sem violência a partir da terra, a raça humana vai se tornar uma família, o mundo será a morada dos homens razoáveis ". Em 01 de maio de 1776, a Ordem dos Illuminati foi fundada.

Os Illuminati da Baviera

Os Illuminati de Weishaupt começou humildemente com apenas cinco membros, mas depois de alguns anos e com conexões poderosas, a Ordem tornou-se uma grande força política em todo o mundo. Decisores influentes, industriais ricos, poderosos nobres e ocultistas misteriosos entraram para a Ordem e participaram de seus objetivos conspiratórios. Alguns historiadores afirmam que a ascensão rápida da Ordem para o sucesso foi devido a um encontro secreto entre Weishaupt e uma figura misteriosa chamada Cagliostro, o ocultista mais poderoso da época.

"Em Ingolsstadt, Cagliostro, acredita-se que conheceu Adam Weishaupt, professor de filosofia e direito canônico na universidade, que em 1776, fundou a seita dos Illuminati. Chamando-se herdeiros dos Cavaleiros Templários, eles declararam seu interesse em utilizar a intervenção celestial como obtida por Cagliostro para a promoção de um programa de reforma religiosa no mundo, mas uma mais radical do que a de Cagliostro, "comprometido em vingar a morte dos Templários Grand Master Molay reduzindo a pó a tríplice coroa dos papas e eliminação do último dos reis Capeto ".
Cagliostro obrigou, e descreveu em detalhes proféticos a decapitação de Luís XVI, um evento que dificilmente se poderia prever naquele tempo como qualquer coisa, mas improvável. "8

Os Illuminati da Baviera foram originalmente compostos por três séries primárias: Minerval Novice, e Minerval Iluminado. Cada série foi concebida para atingir objetivos específicos, garantindo simultaneamente o controle completo e domínio para o ápice da pirâmide. Aqui está uma breve olhada em cada série.

Novato

Membros iniciantes da Illuminati da Baviera foram atraídos e introduzidos à Ordem usando vocabulário atraente (a busca da sabedoria e aperfeiçoamento) e conhecimento oculto. Eles foram introduzidos no entanto a uma hierarquia altamente monitorada e controladora, um sistema que se assemelha a dos jesuítas. Não houve menção de objetivos políticos da Ordem.
"Uma vez inscrito, a instrução de cada Novice era estar nas mãos de seu inscrivente, que manteve bem escondido de seu aluno a identidade do resto de seus superiores. Tais estatutos da ordem como ele foi autorizado a ler impresso na mente dos Novices que os fins particulares procurado em seu noviciado foram para melhorar e aperfeiçoar seu caráter moral, expandir seus princípios de humanidade e sociabilidade, e solicitar o seu interesse no louvável objetivo de frustrar os planos dos maus, auxiliando a virtude oprimida, e ajudando os homens de mérito a encontrar locais adequados no mundo. Ter tido impressionado com ele a necessidade de manter sigilo inviolável respeitando os assuntos da ordem, as funções de subordinar ainda mais seus pontos de vista egoístas e interesses, e de acordo com a obediência respeitosa e completa para os seus superiores estavam próximos intimados. Uma parte importante da responsabilidade do Novice consistiu na elaboração de um relatório detalhado (para os arquivos da ordem), contendo informações completas a respeito de sua família e sua carreira pessoal, que abrange itens como controle remoto como os títulos dos livros que possuía, os nomes de seus inimigos pessoais e aquando da sua inimizade, seu próprios pontos fortes e fracos de caráter, as paixões dominantes de seus pais, os nomes de seus pais e amigos íntimos, etc relatórios mensais foram também necessárias, cobrindo o benefícios o recruta tinha recebido e os serviços que tinha prestado ao fim. Para a edificação do fim do Iniciante deve comprometer a sua parte no trabalho de recrutamento, seu avanço pessoal para os graus mais elevados de ser condicionada ao sucesso de tais esforços. Para aqueles a quem ele se matriculou ele se tornou, por sua vez um superior, e assim depois de um noviciado, presumivelmente, dois anos de duração, o caminho estava aberto para sua promoção para o grau imediatamente superior "9

Quando um Novice provou a seus superiores ser digno de avanço, ele foi iniciado com o grau de Minerval.

Minerval

Selos Minerval dos Illuminati da Baviera. Estes pingentes, usado ao redor do pescoço do iniciado Minerval , contou com a Coruja de Minerva. Também conhecida como a Coruja da Sabedoria, esse símbolo é encontrado ainda hoje em lugares poderosos: ao redor da Casa Branca, escondido na nota de dólar ou na insígnia do Bohemian Club.

O termo Minerval é derivado do Minerva, que era a deusa romana da poesia, da medicina, da sabedoria, do comércio, tecelagem, artesanato, magia e música. Ela é muitas vezes representada com a sua criatura sagrada, uma coruja, que simboliza os laços com sabedoria. Um símbolo antigo dos mistérios, Minerva é destaque em lugares como a Biblioteca do Congresso e do Grande Selo da Califórnia.

A segunda série dos Illuminati foi de doutrinação. Os iniciados eram ensinados sobre os princípios espirituais da Ordem, mas tinham pouca informação sobre os verdadeiros objetivos de Weishaupt e seu círculo íntimo de administradores.
"A cerimônia de iniciação através do qual o Iniciante passou para o grau Minerval era esperado para desiludir a mente do candidato de qualquer suspeita de que a ordem tinha como objetivo supremo a subjugação dos ricos e poderosos, ou, queda de civis e governo eclesiástico. Ele também prometeu ao candidato ser útil à humanidade, para manter um silêncio eterno, uma fidelidade inviolável, e uma obediência implícita com respeito a todos os superiores e as regras da ordem;. E sacrificar todos os interesses pessoais aos da sociedade " 10

Minervals foram autorizados a conhecer alguns dos seus superiores (Minervals Iluminado) e se envolver em discussões com eles. Esse privilégio só foi uma grande fonte de motivação para os novos iniciados.

Minerval Iluminado

Selecionados entre os Minervals, aos Minervals Iluminados foram dadas tarefas específicas a cumprir, a fim de prepará-los para tomar medidas no "mundo real". Maior parte do trabalho consistiu no estudo da humanidade e da perfeição de métodos para dirigi-lo. Cada Minerval Iluminado foi confiada a um pequeno grupo de Minervals que foram examinados, analisados e levados para direções específicas. Membros de menor grau da Ordem, portanto, tornaram-se assuntos de teste para as técnicas que podem ser aplicadas para as massas em geral.
"Para o Minerval de grau Iluminado foram admitidos os Minervals que no julgamento de seus superiores eram dignos de avanço. Cerimônias elaboradas de iniciação fixaram na mente do candidato as noções que a purificação progressiva de sua vida era de se esperar que ele fizesse seu caminho na ordem, e que o domínio da arte de dirigir homens era para ser sua busca especial, desde que ele permaneça no novo grau. Para conseguir este último, ou seja, para se tornar um psicólogo perito e diretor de consciência do homem, ele deve observar e estudar constantemente as ações, propósitos, desejos, defeitos e virtudes do pequeno grupo de Minervals que foram colocados sob a sua orientação pessoal e cuidados . Por causa de sua orientação nessa difícil tarefa uma massa complicada de instruções foi fornecida a ele. 
Além de sua presença contínua nas assembléias do Minervals, os membros desta classe se reuniram uma vez por mês por si só, para ouvir relatos sobre os seus discípulos, para discutir métodos de realizar os melhores resultados em seu trabalho de direção e para solicitar um ao outro conselhos em casos difíceis e embaraçosos. Nessas reuniões os registros das assembléias do Minervals foram revistos e corrigidos e depois transmitidos aos oficiais superiores da ordem "11

A partir desta estrutura básica, os Illuminati começaram a sua expansão. Tudo estava no lugar para Weishaupt alcançar um objetivo importante: a infiltração da Maçonaria.

Infiltração da Maçonaria

Em 1777, ano seguinte à criação do Illuminati, Weishaupt juntou-se à loja maçônica de Theodore do Bom Conselho, em Munique. Não só ele conseguiu propagar seus pontos de vista no interior da loja, como ele também conseguiu fazer a loja ser "virtualmente absorvida a ordem iluminista quase imediatamente". 12

A aliança definitiva entre os Illuminati e a Maçonaria se tornou possível em 1780, quando uma figura proeminente pelo nome de Barão Adolf Franz Friederich Knigge foi iniciado na Ordem de Weishaupt. Ligações maçônicas do diplomata alemão e habilidades organizacionais foram prontamente colocadas em uso pela Ordem. Knigge iria passar a realizar duas tarefas importantes para o Illuminati: Ele revisou a hierarquia da Ordem, criou novos graus mais altos e permitiu a plena integração das lojas maçônicas no sistema.
"Duas consequências pesadas imediatamente seguido como resultado do advento da Knigge na ordem. Os graus mais elevados há muito procurado foram trabalhados, e uma aliança entre os Illuminati e a Maçonaria foi feita. "13
 

Knigge, um diplomata alemão e influentes do Norte juntou-se ao ocultismo Illuminati em
1780. Ele é aqui mostrado exibindo o sinal da Mão Invisível (veja o artigo intitulado
A Mão Invisível que moldou o mundo).

A influência de Knigge sobre a Ordem foi profunda e imediata. O novo sistema que ele criou atraiu maçons e outras figuras poderosas, que deu o grande impulso ao movimento. Aqui está o sistema inventado por Knigge:
 
Knigge manteve os graus da Ordem original intocados, mas acrescentou novas classes acima deles. O segundo nível dos Illuminati incorporavam os graus da Maçonaria tornando, portanto, a Irmandade simplesmente uma parte da superestrutura mais ampla iluminista.
"O grau Novice (a parte do sistema apenas no sentido de preparação) foi deixado inalterado por Knigge, exceto pela adição de uma comunicação impressa para ser colocada nas mãos de todos os novos recrutas, aconselhando-os que a Ordem dos Illuminati está contra todas as outras formas de maçonaria contemporânea como não a um tipo degenerado, e como tal só capaz de restaurar o ofício ao seu antigo esplendor. (...) 
Os três graus simbólicos da segunda classe parecem ter sido concebido exclusivamente para a finalidade de fornecer uma avenida pela qual os membros dos vários ramos da grande família maçônica poderiam passar aos graus mais elevados da nova ordem "14

As melhores notas da Ordem foram restritas a um seleto e incluem indivíduos poderosos e influentes figuras. O grau de Príncipe realizado dentro de seus os Inspectores Nacionais, Provincials, Chefes e Monge dos Sacerdotes. No topo da pirâmide eram os Magus (também conhecido como Areopagites), que compreende os chefes supremos da Ordem. Suas identidades foram guardadas com segurança e ainda são difíceis de confirmar hoje.

A estratégia de Knigge deu resultados impressionantes e permitiu que os Illuminati se tornassem um movimento extremamente poderoso.
"O novo método de espalhar Iluminismo por meio de sua afiliação com as lojas maçônicas prontamente demonstrou o seu valor. Grande parte devido à estratégia de busca de seus recrutas entre os oficiais e outros personagens influentes nas lojas da Maçonaria, um após outro, este último em rápida sucessão passou para o novo sistema. Prefeituras novas foram criadas, novas províncias organizadas e Provincials começaram a relatar um fluxo constante e abundante de novos recrutas. (...) Os estudantes, comerciantes, médicos, farmacêuticos, advogados, juízes, professores de ginásios e universidades, preceptores, funcionários civis, pastores, sacerdotes - todos foram generosamente representados entre os novos recrutas. Nomes distintos logo apareceram nas listas das lojas do novo sistema. Duque Ferdinand de Brunswick, Duque Ernst de Gotha, duque Karl August de Saxe-Weimar, o príncipe agosto de Saxe-Gotha, o príncipe Carl de Hesse, o Barão Dalberg, o filósofo Herder, o poeta Goethe, o educador Pestalozzi, estavam entre o número de inscritos , Até o final de 1784 os líderes vangloriam-se de um registro total de entre dois e três mil membros 106. e o estabelecimento da ordem sobre uma base sólida parecia ser plenamente assegurado. "15

Weishaup, no entanto, não gostou do sucesso de sua Ordem por muito tempo. Suspeitas de conspiração Illuminati contra os governos e religiosos surgiram em toda a Europa. Vendo uma ameaça crível contra o seu poder, o governo da Baviera lançou um edital proibindo todas as comunidades, sociedades e irmandades que existiam sem a devida autorização da lei. Além disso, as divergências internas entre Weishaupt e os superiores de sua Ordem levavam a conflitos e dissensões. No meio de tudo isso, alguns membros foram diretamente para as autoridades e testemunharam contra a Ordem, uma oportunidade que não foi perdida pelo governo da Baviera.
"Da boca dos seus amigos, as acusações que seus inimigos fizeram contra a ordem foram fundamentadas. Pela admissão de seus líderes, o sistema dos Illuminati tinha a aparência de uma organização dedicada à derrubada da religião e do Estado, um bando de envenenadores e falsificadores, uma associação de homens de moral repugnante e gosto depravado "16

A partir de 1788, através do uso de legislações agressivas e acusações criminais, os Illuminati da Baviera foram aparentemente dissipados e destruídos pelo governo. Enquanto alguns vêem aqui a conclusão da história dos Illuminati, não se deve esquecer que os tentáculos do Iluminismo teve tempo para se espalhar muito além de limites da Baviera para chegar as lojas maçônicas em toda a Europa. Em outras palavras, os Illuminati nunca foram destruídos, eles simplesmente passaram à clandestinidade. Um ano mais tarde, um evento importante seria provar que o Iluminismo foi mais vivo e potente do que nunca: a Revolução Francesa.

A Revolução Francesa

A derrubada violenta da monarquia francesa em 1789 simboliza para muitos a vitória do jacobinismo e Iluminismo sobre as instituições tradicionais da época. A adopção da Declaração dos Direitos Humanos oficialmente registrou valores maçônicos e iluministas no núcleo do governo francês. Novo lema do país "Liberté, Égalité et Fraternité" (Liberdade, Igualdade e Fraternidade) foi um dito famoso maçônico que foi usado em lojas francesas durante séculos.

O documento oficial da Declaração dos Direitos Humanos contém vários símbolos ocultos referindo-se a sociedades secretas. Primeiro, o símbolo do Olho Que Tudo Vê dentro de um triângulo, cercado pela luz da estrela Sirius, encontrando-se acima de tudo (esse símbolo também é encontrado no Grande Selo dos Estados Unidos). Abaixo do título é descrito um Ouroboros (a serpente comendo a própria cauda), um símbolo esotérico associado a Alquimia, gnosticismo e hermetismo, os ensinamentos fundamentais da Maçonaria. Logo abaixo do Ouroboros é um barrete frígio vermelho, um símbolo que representa revoluções iluministas em todo o mundo. A Declaração inteira é guardada por pilares maçônica.

Reação contra o Iluminismo

Apesar de os Illuminati de Baviera serem dito como mortos, as idéias promoveram e ainda se tornaram uma realidade. Os maçons e rosacruzes ainda estavam prosperando, e os Illuminati pareciam estar vivendo através deles. A Europa estava passando por turbulências profundas visto que uma nova classe de pessoas tomou o elmos de poder. Os críticos começaram a surgir, revelando às massas as forças secretas por trás das mudanças que eles estavam testemunhando.

Leopold Hoffman, um maçom que estava convencido de que os Illuminati corromperam sua Irmandade, publicou uma série de artigos em seu diário, intitulado Wiener Zeitschrift. Ele alegou que os níveis mais baixos dos Illuminati tinha sido dissolvido, mas os mais altos graus ainda estavam ativos. Ele também acrescentou que a Maçonaria estava sendo "subjugada pelo Iluminismo" e transformada para servir aos seus fins. Ele também afirmou que a Revolução Francesa foi o resultado de anos de propaganda iluminista.

Em 1797, John Robinson, um médico escocês, matemático e inventor (ele inventou a sirene) publicou um livro intitulado "Provas de uma conspiração contra todas as religiões e governos da Europa, exercidas nas reuniões secretas dos Maçons, Illuminati, e Sociedades de Leitura ". Este maçom devoto ficou desencantado quando percebeu que sua fraternidade tinha sido infiltrada pelos Illuminati. Aqui está um trecho de seu livro:
"Descobri que o secretismo de uma Loja Maçônica tinha sido empregado em todos os países para a ventilar e propagar sentimentos em religião e política, que não poderia ter circulado em público sem expor o autor a grande perigo. Eu achei que esta impunidade haviam gradualmente encorajado os homens de princípios licenciosos para se tornar mais ousados, e para ensinar as doutrinas subversivas de todas as nossas noções de moral - de toda a nossa confiança no governo moral do universo - de todas as nossas esperanças de melhoria em um futuro estado de existência e de toda a satisfação e contentamento com a nossa vida presente, desde que vivemos em um estado de subordinação civil. Eu tenho sido capaz de rastrear essas tentativas, feita, através de um curso de 50 anos, sob o pretexto especioso de iluminar o mundo, a tocha da filosofia, e de dissipar as nuvens de superstição civis e religiosas que mantêm as nações da Europa nas trevas e escravidão. 
Tenho observado essas doutrinas gradualmente difundindo e misturando com todos os diferentes sistemas da Maçonaria, até que, finalmente, uma associação foi formada com o propósito expresso de extirpar todos os estabelecimentos religiosos, e inverter todos os governos existentes DA EUROPA. Eu já vi essa Associação exercendo-se com zelo e sistematicamente, até que tornou-se quase irresistível: E eu tenho visto que os líderes mais ativos da Revolução Francesa eram membros dessa Associação, e conduziu os seus movimentos primeiro de acordo com seus princípios, e por meio de suas instruções e assistência, formalmente solicitado e obtido: E, finalmente, tenho visto que esta associação ainda existe, ainda trabalha em segredo, e que não só várias aparições entre nós mostram que seus emissários estão se esforçando para propagar suas doutrinas detestáveis, mas que a Associação tem Lojas na Grã-Bretanha correspondente com o Loja mãe em Munique desde 1784. . . A Associação dos quais eu tenho falado é a Ordem dos Illuminati, fundada, em 1775 [sic], pelo Dr. Adam Weishaupt, professor de Direito Canônico, na Universidade de Ingolstadt, em 1786 e abolido pelo Eleitor da Baviera, mas reviveu imediatamente após, sob outro nome, e de uma forma diferente, em toda a Alemanha. Foi novamente detectado, e aparentemente quebrado, mas que tinha por esta altura levado tão profundas raízes que ainda subsiste sem ser detectado, e se espalhou em todos os países da Europa "17

Augustin Barrel, um sacerdote jesuíta francês também publicou em 1797 um livro de ligação a Revolução Francesa para os Illuminati da Baviera. Em "Mémoires despeje à l'histoire SERVIR du Jacobisime", ele remonta o slogan "Liberdade e Igualdade" voltando aos Templários e afirmou que, nos graus mais elevados da ordem, liberdade e igualdade é explicada não só pela "guerra contra a reis e tronos", mas por "guerra contra Cristo e os altares ". Ele também forneceu detalhes referentes a iluminista aquisição da Maçonaria.
"Barruel acusou que não só os da ordem mais baixa da Maçonaria foram enganados por Weishaupt, mas também aqueles da própria Illuminati de Weishaupt, para quem ele tinha fornecido um outro nível altamente secreto de direção conhecida como a Aeopagus, um círculo retirado de diretores de toda a ordem, o único que sabia visa o seu segredo. Para Barruel, tais líderes revolucionários como La Rochefoucauld, Lafayette, e o duque d'Orléans, tinham se tornado agentes Illuminati e dupes de mais radicais extremos, como Danton, que provocaram a rebelião dirigida pelos Illuminati. Barruel acusou ainda mais que o estabelecimento maçônico francês todo tinha sido convertido em idéias revolucionárias de Weishaupt, suas lojas transformadas em comitês secretos que planejavam derramamento de sangue "18

Propagação na América

A maioria dos Pais Fundadores da América faziam parte de sociedades secretas, ou maçons, rosa-cruzes ou outros. Alguns deles viajaram para a Europa e foram bem versados nas doutrinas dos Illuminati.

De 1776 a 1785 - quando os Illuminati da Baviera era abertamente ativos - Benjamin Franklin estava em Paris servindo como embaixador dos Estados Unidos para a França. Durante a sua estada, ele tornou-se Grão-Mestre da Loja Les Soeurs neufs que foi anexado com o Grande Oriente da França. Esta organização maçônica foi dito ter se tornado a sede francesa da Illuminati da Baviera. Ela foi particularmente influente na organização do apoio francês para a Revolução Americana e mais tarde fez parte do processo para a Revolução Francesa.

Em 1799, quando o ministro alemão G.W. Snyder advertiu George Washington do plano Illuminati "para derrubar todos os governos e religião", Washington respondeu que tinha ouvido "grande parte do plano nefasto e perigoso e doutrinas dos Illuminati". Ele no entanto concluiu sua carta afirmando: "Eu acredito que, não obstante, que nenhuma das Lojas neste país estão contaminadas com os princípios atribuídos à sociedade dos Illuminati".

Em outra carta a Snyder, escrita um mês depois, Washington continuou sobre o tema:
"Não era minha intenção duvidar que, as doutrinas dos Illuminati, e os princípios do jacobinismo não se espalharam nos Estados Unidos. Pelo contrário, ninguém é mais verdadeiramente satisfeito com esse fato do que eu. 
A idéia que eu quis transmitir, era que eu não acreditava que as Lojas dos Maçons no país teve, como Sociedades, esforçado-se para propagar as doutrinas diabólicas dos primeiros princípios, ou perniciosas do último (se forem susceptíveis de separação). Os indivíduos que delas podem tê-lo feito, ou que o fundador, ou o instrumento empregado para fundar, as Sociedades Democráticas nos Estados Unidos, pode ter tido esses objetos, e realmente tinha uma separação do Povo de seu Governo em vista, é muito evidente para ser questionado. "

 
Parte da carta original escrita por George Washington sobre os Illuminati

A julgar por esta carta, George Washington foi, obviamente, bem ciente das doutrinas dos Illuminati e mesmo se ele não acreditasse que as instituições maçônicas dos Estados Unidos propagaram as suas doutrinas, ele admite que os indivíduos poderiam ter realizado esse esforço.

Após os Illuminati da Baviera

Hoje, o termo Illuminati é usado para descrever frouxamente o pequeno grupo de indivíduos poderosos que estão trabalhando para a criação de um Governo Mundial, com a emissão de uma única moeda mundial e uma religião mundial única. Embora seja difícil determinar se este grupo descende diretamente do original Illuminati da Baviera, nem mesmo se usa o termo Illuminati e se seus princípios e métodos estão em perfeita continuação do mesmo. Como dito acima, o nome que é usado para descrever a elite oculta pode mudar. E, finalmente, o nome é irrelevante, o que precisa ser reconhecida é a corrente subjacente que existe há séculos.

De acordo com a Manly. P Hall, os Illuminati da Baviera foram parte do que ele chama de "Fraternidade Universal", uma ordem invisível na "fonte" da maioria das sociedades secretas herméticas do passado. Ele tem trabalhado ao longo dos séculos para a transformação da humanidade, guiando-a através de um processo alquímico em todo o mundo. Da mesma forma que o grande trabalho alquímico pretende transformar metais em ouro bruto, que afirma trabalhar no sentido de uma metamorfose similar do mundo. De acordo com Hall, a Irmandade Universal, por vezes, torna-se visível, mas sob o disfarce de diferentes nomes e símbolos. Isto significaria que os Cavaleiros Templários, Maçons, Rosacruzes, e Illuminati são temporárias manifestações visíveis de uma força subjacente que é infinitamente mais profunda e mais poderosa. No entanto, os seres humanos são o que são - fraco para a ganância e luxúria - esses movimentos tornam-se frequentemente corrompidos e acabam conspirando contra as massas de mais poder e material de ganho.
"Certamente houve uma corrente de coisas esotéricas, no sentido mais mística da palavra, abaixo da superfície do Iluminismo. A este respeito, a Ordem seguiu exatamente os passos dos Cavaleiros Templários. Os Templários voltaram para a Europa após as Cruzadas, trazendo com eles uma série de fragmentos de escolha de material oculto Oriental, algumas das quais eles tinham se reunido desde o Drusos do Líbano, e alguns dos discípulos de Hasan Ibn-al-Sabbah, o velho bruxo do Monte Alamut. 
Se houvesse uma corrente profunda mística fluindo abaixo da superfície do Iluminismo, é certo que Weishaupt não era a Primavera Castália. Talvez o lírios dos Illuminati e as rosas dos Rosacruzes foram, por um milagre da Natureza, que flui do mesmo radical. O simbolismo antigo sugeriria isso, e nem sempre é sábio ignorar marcos antigos. Só há uma explicação que satisfaça os requisitos óbvios e naturais dos fatos conhecidos. Os Illuminati eram parte de uma tradição esotérica que tinha descido desde a antiguidade remota e revelou-se por um tempo curto entre os humanistas de Ingolstadt. Uma das flores da "planta do céu" estava lá, mas as raízes foram longe em melhor chão ". 19

Hall conclui que os Illuminati existiram muito antes do advento da Ordem de Weishaupt e que ainda hoje existe. Foi sob o disfarce da derrota e destruição que os Illuminati perceberam suas maiores vitórias.
"Weishaupt emergiu como um servo fiel de uma causa maior. Atrás dele mudou-se a maquinaria complexa da Escola Secreta. Como de costume, eles não confiaram o seu peso total a qualquer instituição perecível. A história física dos Illuminati da Baviera se estenderam por um período de apenas 12 anos. É difícil entender, portanto, a agitação profunda que este movimento causado na vida política da Europa. Somos forçados à conclusão de que este grupo bávaro foi apenas um fragmento de um projeto grande e composto. 
Todos os esforços para descobrir os membros das séries mais avançadas da Ordem dos Illuminati têm sido infrutíferos. Ele tem sido habitual, portanto, supor que esses graus mais altas não existem exceto nas mentes de Weishaupt e von Knigge . Não é igualmente possível que um poderoso grupo de homens, resolvidos a permanecer inteiramente desconhecidos, moveram-se por trás de Weishaupt e empurraram-no para a frente como uma tela para suas próprias atividades? 
Os ideais do Iluminismo, como eles são encontrados nos Mistérios pagãos da antiguidade, eram velhos quando Weishaupt nasceu, e é improvável que essas convicções há muito acalentado pereceu com sua experiência bávara. O trabalho que ficou inacabado, em 1785, permanece inacabado em 1950. Ordens esotéricas não serão extintas até o propósito que as trouxe à existência tem sido cumprido. Organizações podem perecer, mas a Grande Escola é indestrutível ". 20


O Grande Selo dos Estados Unidos apresenta a pirâmide inacabada de Gizé, um símbolo da obra inacabada das Ordens esotéricas: a Nova Ordem Mundial. O selo foi aprovado mo dólar americano por Franklin Delano Roosevelt, um maçom de Grau 32 e um Cavaleiro de Pythias com laços Manly P. Hall.

Os Illuminati Hoje

Se a Agenda iluminista ainda está viva hoje, qual a forma que leva? Do ponto de vista esotérico e espiritual, algumas sociedades modernas, como o Segredo O.T.O (Ordo Templi Orientis) afirmaram ser os herdeiros do Iluminismo. Outros pesquisadores afirmaram que existe Ordens escondidas acima dos 33 "visíveis" graus da Maçonaria que formam a Illuminati. Como elas são, por definição, secretas, obter detalhes sobre esses pedidos é bastante difícil.

O lado político da Iluminismo moderna é muito mais visível e seus planos são óbvios. Um grupo cada vez mais restritivos e concentrado está sendo confiado à criação de importantes decisões e políticas. Comitês e organizações internacionais, atuando acima de funcionários eleitos são hoje a criação de políticas sociais e econômicas que são aplicadas em um nível global. Este fenômeno é relativamente novo na história do mundo como, em vez de reinos ou estados-nações, um governo sombra não-eleito, composto pela elite do mundo, está gradualmente se tornando o centro do poder mundial.
"Em outro plano político são grupos ideológicos, como o Conselho de Relações Exteriores, ou os participantes do Fórum Econômico Mundial. Aqui encontramos os líderes na política, negócios, finanças, educação e os meios de comunicação que compartilham uma crença no valor de soluções globais; estão em posição de autoridade e influência de alta, e representam diferentes níveis de envolvimento com o círculo interno do grupo. A maioria dos membros simplesmente dão boas-vindas à oportunidade de se associar com outras bem conhecidas luminárias e estamos honrados por serem oferecidos privilégios de membro ou de participação. No entanto, a ideologia nos níveis mais elevados de tais grupos suporta um governo mundial - a ser administrado por uma classe de especialistas e planejadores, encarregados de executar instituições sociais e políticas organizadas. Embora os membros podem ser persuadidos a juntar sua voz considerável para determinadas políticas transnacionais e econômicos, eles podem ser tão favoráveis (ou até mesmo conscientes) das ambições de longo alcance do círculo interno. Embora esses grupos muitas vezes façam suas reuniões em segredo, sua lista de clientes são uma questão de registro público. É a agenda central que está disfarçada. "21

Os principais grupos de elite e os conselhos são: o Grupo de Crise Internacional, o Conselho de Relações Estrangeiras, o Fórum Econômico Mundial, da Brookings Institution, Chatham House, a Comissão Trilateral e do Grupo de Bilderberg. O Bohemian Club é conhecido por realizar encontros informais da elite mundial pontuados com cerimônias e rituais estranhos. A insignia do clube é uma coruja semelhante ao encontrado no selo Minerval dos Illuminati da Baviera.

Insignia do Clube de Bohemian

Se alguém estudar cuidadosamente os membros e participantes destes clubes exclusivos, pode-se notar que eles combinam os mais poderosos políticos, executivos e intelectuais da época com os menores indivíduos conhecidos e os de nomes famosos. Eles são descendentes de poderosas dinastias que subiram ao poder, assumindo aspectos vitais das economias modernas, como o sistema bancário, da indústria do petróleo ou a mídia de massa. Eles têm sido associados com os eventos de mudança do jogo, como a criação da Reserva Federal em 1913. Esse ato completamente modificou o sistema bancário dos Estados Unidos, colocando-o nas mãos de poucas corporações de elite. A prova disso é a decisão judicial de 1982, afirmando que "Os Bancos da Reserva Federal não são instrumentos para fins do FTCA [o Federal Tort Claims Act], mas são independentes, empresas de propriedade privada e localmente controladas".

Em seu livro "Linhagens Sanguíneas dos Illuminati", o controverso autor Fritz Springmeier afirma que os Illuminati hoje é formado a partir dos descendentes de treze famílias poderosas cujos ancestrais tinham laços próximos ou distantes do original Illuminati da Baviera. De acordo com Springmeier, as 13 linhagens são: 
os Astors, os Bundys, os Collins, os DuPonts, os Freemans, os Kennedys, os Li, os Onassis, os Reynolds, os Rockefellers, os Rothschilds, os Russells e os Duyns Van. 22

Não há dúvida de que, em virtude dos recursos materiais e políticos deles próprios, algumas dessas famílias têm um grande poder no mundo de hoje. Eles aparecem para formar o núcleo do que chamamos hoje de Illuminati. No entanto, eles estão conspirando para criar uma Nova Ordem Mundial? Aqui está uma citação de memórias de David Rockefeller que possam responder a algumas perguntas:
"Por mais de um século, extremistas ideológicos em cada extremidade do espectro político têm aproveitado incidentes bem divulgados como o meu encontro com Castro para atacar a família Rockefeller para a influência excessiva que alegam exercer sobre instituições americanas políticas e econômicas. Alguns até acreditam que são parte de uma cabala secreta trabalhando contra os melhores interesses dos Estados Unidos, caracterizando a minha família e eu como 'internacionalistas' e de conspirar com outros ao redor do mundo para construir uma estrutura mais integrada política e econômica global - um mundo , se você quiser. Se essa é a acusação, então sou culpado, e eu estou orgulhoso disso. "23

Conclusão

A história dos Illuminati foi reprimida ou revelada, desmascarado ou expostos, ridicularizados ou exagerada inúmeras vezes - tudo dependendo do ponto de os autores e se eles são "apologistas" ou "críticos". Para obter a verdade absoluta sobre um grupo que sempre foi criado para ser secreto é um grande desafio e deve-se usar uma grande quantidade de juízo e discernimento para diferenciar os fatos das fabricações. Como não é possível responder a todas as questões relacionadas com a Illuminati, este artigo simplesmente tentou desenhar um quadro mais preciso da Ordem e de apresentar fatos importantes relacionados a ele.

O ambiente político de hoje é bem diferente da época de Weishaupt e os Pais Fundadores norte-americanos, mas ainda existem muitas semelhanças. Enquanto os Iluministas da Baviera supostamente denunciaram a opressão política e religiosa do Vaticano, como as democracias se fundem em um único governo mundial, como a privacidade e as liberdades se tornam substituída por "segurança" e de vigilância de alta tecnologia, como escolas reprimem o pensamento crítico, como a mídia de massa emburrece e disinforma as massas, como operações secretas realizam crimes contra a humanidade e, como todos os grandes protestos são violentamente reprimidos por um estado policial crescente, é fácil tirar a conclusão de que um sistema semelhante repressivo está sendo instalado. Será que os Illuminati realmente "libertarão" o mundo ocidental a partir da opressão do Vaticano ou eles simplesmente continuarão seus passos?

"A minoria, a classe dominante no presente, tem as escolas e a imprensa, em geral a Igreja, bem como, sob o seu polegar. Isto permite organizar e influenciar as emoções das massas, e fazê-los ferramenta deles. " - Albert Einstein

1.Sir Edward Bulwer Lytton, Zanoni
2.James Wasserman, as tradições Mistério
3.Manly P. Hall, Masonic Orders da Fraternidade
4.Vernon L. Stauffer, The Illuminati europeus
5. Peter Tomkins, The Magic of Obeliscos
6. Stauffer, op. Cit.
7. Ibid.
8. Tompkins, op. cit.
9. Stauffer, op. cit.
10.Ibid.
11. Ibid
12. Hall, op. cit.
13.
Ibid
14. Ibid.
15. Ibid
16. Ibid
17. John Robinson, Provas de uma conspiração
18.
Tompkins, op. cit.
19. Hall, op. cit.
20. Ibid.
21. Wasserman, op. cit.
22. Fritz Springmeier, The Bloodlines of the Illuminati
23. David Rockefeller, Memórias

FONTE: Secret Arcana


0 comentários:

Postar um comentário